Notícias

Reunião de GT define estrutura para discutir temas atuais de direitos humanos no CBMTO

29/01/2019 - José Domingos Alves Filho - TC/Corpo de Bombeiros Militar

Aconteceu na manhã desta terça-feira, 29, no Quartel do Comando Geral do Corpo de bombeiros, uma reunião, com membros da instituição, com a finalidade de estruturar um núcleo interdisciplinar de qualidade de vida e direitos humanos dentro do CBMTO. Esse grupo terá como principal objetivo discutir, ampliar e propor ações e projetos que envolvam as demandas internas nos campos da saúde, direitos humanos, qualidade de vida, questões jurídicas e ainda o desenvolvimento de ações pontuais para cada fato novo. Essa reunião foi motivada pela constante veiculação, de outubro do ano passado até janeiro deste ano, de possíveis vítimas de assédios morais e sexuais ocorridos na corporação.

Participaram da reunião o comandante geral dos bombeiros, coronel Reginaldo Leandro da Silva, tenente-coronel Juliana Pinto Corgozinho/psicóloga, Luciano Nakano Junqueira tenente-coronel/Odontólogo, Carlos Alberto Rodrigues Costa/diretor de administração e recursos humanos, Major Cleber Jose Borges Sobrinho/comandante operacional, major Domitilla Rodrigues Traversim/odontóloga, major Ana Paula de Castro Reis/odontóloga, major Josselindo Marcos Cordeiro Sobral/capelão, major Halyny Mendes Guimaraes/assessora jurídica,  padre Jairon Bezerra de Carvalho, Maria do Socorro Gonçalves/psicóloga, e Patrícia Rodrigues Pontes/assistente social.

O grupo interdisciplinar será composto por profissionais da área da saúde, jurídica, de recursos humanos e será presidido pela TC QOBM/S, Juliana Pinto Corgozinho, psicóloga da corporação, e tem caráter consultivo e de assessoramento a tomada de decisão por parte do comando do CBMTO para tratar dos assuntos que atingem os membros da corporação, tais como os assédios, desvios de comportamento, depressões e outras demandas.
Nesta primeira reunião, foram discutidas a importância de se abordar esses assuntos, de forma multidisciplinar, e a necessidade de se se normatizar o núcleo, seus objetivos e incumbências, para que os trabalhos comecem a ser realizados formalmente e que os militares possam compreender e participar das discussões futuras.

O comandante geral, coronel Leandro, destacou que a criação do grupo veio na hora mais apropriada, “nada acontece por acaso, as tempestades vêm, mas Deus nos orienta e conduz o nosso barco por uma rota segura, então esse grupo de trabalho é de relevada  importância no sentido de direcionar nossas ações para os problemas que hoje atingem a tropa, não só nas questões dos assédios, mas em todos os campos comportamentais. ” 
A próxima reunião já ficou definida para terça-feira que vem, 5/02, e com prioridade para discussão dos temas que tem clamor social que são os direitos humanos, em especial o direito das mulheres.