Notícias

Crianças do CMEI Aconchego visitam Corpo de Bombeiros Militar

10/10/2019 - Luiz Henrique Machado

As comemorações ao Dia das Crianças proporcionaram visita diferente aos alunos do Centro Municipal de Ensino Infantil (Cmei) Aconchego, do Setor Aureny IV, em Palmas. Um grupo passou horas no 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, conhecendo parte da rotina do grupamento e também as viaturas usadas nas operações.

O transporte de ida e volta ficou por conta do CBM. Ao chegar, a turma foi recepcionada por oficiais e praças que demonstraram parte do passo a passo com as viaturas de Resgate, o caminhão Auto Bomba Tanque (ABT), usado para combate a incêndio urbano.

A seu modo, Lucas Cândido, de cinco anos, relatou; “Eu gostei do carro para apagar o incêndio, porque salva a natureza e os bichos”. Além de mostrar o caminhão, o oficial ainda apresentou parte dos equipamentos usados na rotina de trabalho, como machado, cilindro de oxigênio e a roupa com os equipamentos de proteção individual (EPIs), que protege o bombeiros militar durante o combate ao incêndio.

Depois de passarem pela viatura de Resgate, onde puderam ver como são as ações básicas de primeiros socorros nos acidentes, ainda deu tempo de uma simulação na falsa baiana, o sistema empregado pelos bombeiros usando corda para o resgate em situações onde não há ponte. A corda substitui a passarela e o militar cruza de um ponto andando sobre a “passagem”, enquanto segura na parte superior.

Foi um dia diferente para todos. As crianças, com certeza aprenderam muito, segundo revelou a professora Geralda Magela de Aquino. “É um momento muito rico, pois gera curiosidade e conhecimento. À medida que questionava, a criança tinha uma resposta, com descobertas significativas”, disse. “Esta é uma ação educativa muito forte”, completou.

“Estamos tão felizes quanto essas crianças, por estarmos mostrando nossas viaturas, parte do nosso trabalho”, destacou o major Nilton Rodrigues dos Santos, que ouviu de boa parte da turma, o desejo de ser um bombeiro também quando crescer. “Há um sentimento positivo e a gente orienta para que estudem bastante e se preparem”, explicou o major.

A visitação foi finalizada com um café da manhã, servido na cantina do batalhão.