Notícias

Nova turma de bombeiros militares se forma no curso de salvamento em altura

08/11/2019 - Luiz Henrique Machado

Aconteceu na manhã desta sexta-feira, 08, a cerimônia de formatura de quarta turma do Estágio em Salvamento em Altura (Esalt), qualificando mais bombeiros militares para atendimento às buscas de vítimas em possíveis acidentes em encostas, prédios, e outros localidades. O curso foi promovido pela Diretoria de Ensino e Pesquisa do Corpo de Bombeiros Militar, com duração de onze dias, em período integral.

O grupo contou com seis alunos e agora o CBM passa a ter 59 militares qualificados para esse tipo de atividade, nos Batalhões de Palmas, Araguaína e Gurupi. A grade curricular abordou técnicas para resgate de vítima em quedas em cachoeiras, paredões, presas em prédios, na parte externa ou mesmo em pavimentos, tendo necessidade de remoção.

Entre os formandos está a sargento Faustine Jordana Bruxel que, apesar dos desafios existentes na atividade, cumpriu a missão com êxito. “Era um curso que eu sempre almejei e agora tive a oportunidade de concluí-lo. Não é curso fácil. Tem as etapas a serem vencidas, superadas, o medo, o desgaste físico, mas graças a Deus consegui. Agora tenho mais essa qualificação e a competência para atuar com segurança e assim atender a população”, destacou Faustine.

O tenente coronel Cleber José Borges Sobrinho, comandante Operacional do Corpo de Bombeiros Militar, elogiou o desempenho e o resultado da nova turma. “O que temos hoje, é uma turma de qualidade sendo referenciada por seus esforços e alcançando êxito. Estamos preparados para atender as ocorrências de inúmeras características, com todas as complexidades e diversidades. O que fazemos é estarmos preparados. A Nossa população tendo necessidade, o CBM tem profissionais especializados para atender”, afirmou.

As características geográficas do Tocantins, o avanço das atividades do turismo de aventura nas mais diversas regiões do estado, bem como a verticalização predial, segundo o capitão Silvano Florentino Lopes, coordenador do curso, exigem que os bombeiros militares estejam qualificados para eventuais ações de salvamento e resgate.

“Precisamos nos especializar e essa é uma área em que a gente precisar estar o tempo todo atendo e preparado para o resgate, não apenas fisicamente, mas também com as técnicas. Essa turma vem a concretizar o nosso desejo e somar positivamente para com a sociedade e com o próprio CBM na parte operacional”, concluiu o capitão.