Notícias

Curso de Operador Aerotático inicia novo módulo e capacita militares para salvamento em altura

09/05/2019 - Thaís Ramalho/Governo do Tocantins

Iniciou nessa quarta-feira, 8, no 1º Batalhão de Bombeiros , mais um módulo do curso de Operador Aerotático: o de Salvamento em Altura. Em 45 horas/aula 14 militares estão sendo capacitados para operar, em diversas situações, com a utilização de aeronave. O objetivo é que os profissionais apliquem os conhecimentos no Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), composto pelo Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins (CBMTO), Polícia Militar e Polícia Civil.

O treinamento, realizado pela Escola Superior de Polícia (Espol), acontece desde o dia 26 de abril, na modalidade presencial, em regime de internato e de semi-internato, e possui carga horária total de 563 horas/aula.

De acordo com o coordenador do curso, major Denis Dalla, pela primeira vez o Tocantins sedia a capacitação. Segundo ele, isso é um marco para o Estado. “Antes os militares precisavam se qualificar em outros estados. Hoje temos condições de receber alunos de fora, capacitar o nosso efetivo e, também, fortalecer a doutrina e padronizar todos os procedimentos em operações aéreas”, afirmou.

Do Corpo de Bombeiros, o coordenador da modalidade Salvamento em Altura, capitão Rafael Menezes explicou que as aulas compreenderão noções de salvamento em altura, nó e amarração, ancoragem, resgate, práticas de rapel, transposição de obstáculos, entre outros. “Todos esses conhecimentos poderão ser executados na aeronave e em ações em terra. No rapel, por exemplo, eles [os alunos] terão que praticar da aeronave, sempre em contato com a altura, para trabalhar com as cordas”, frisou.

Para o soldado Joanne Lazaro Facundes, aluno da especialização, a oportunidade é grande importância a fim de que os aprendizados sejam, na prática, desenvolvidos em prol da sociedade. “Com o curso, tenho a oportunidade de poder trabalhar na área dos bombeiros e policiais, que compreendem o Ciopaer. Dessa forma, o treinamento é de grande importância para desenvolvermos atividades altamente operacionais, com o uso da aeronave, e levarmos um resultado positivo para todos”, ressaltou.

Na grade da especialização, os militares terão domínio de utilização de equipamentos, técnicas, fraseologia e gerenciamento de cabine, próprios da aviação de segurança pública. O intuito é que estejam, constantemente, preparados para realizar intervenções diretas e conhecer as técnicas do emprego de aeronaves em ambiente terrestre e aquático, além de suas aplicações em resgate aeromédico e outras típicas das atividades da polícia e dos bombeiros.