Notícias

Balanço das ações no segundo trimestre é divulgado pelo Corpo de Bombeiros Militar

25/07/2019 - Luiz Henrique Machado/Governo do Tocantins

O comando do Corpo de Bombeiros Militar divulgou na manhã desta quinta-feira, 25, em coletiva de imprensa, o balanço de suas ações operacionais referentes ao segundo trimestre deste ano. O evento aconteceu em conjunto com a Polícia Militar, Policia Civil e Secretaria de Segurança Pública (SSP), às 9h30. As demais pastas também divulgaram suas estatísticas.

Os dados são referentes a abril, maio e junho. As pastas trouxeram ainda, informações relacionadas ao mesmo período do ano passado e do primeiro trimestre de 2019, para que a imprensa e a sociedade vejam o desempenho dos órgão públicos no setor de segurança.

Numa análise dos números do Corpo de Bombeiros Militar, observa-se que neste segundo trimestre foram 7.331 ações, sendo 720 a mais sobre o mesmo período de 2018.

Contudo, em outro comparativo, agora entre os dois trimestres deste ano, observa-se que o primeiro teve 674 ações a mais que o segundo: 8005 e 7331, respectivamente.

Duas outras estatísticas apresentam diferenças importantes quando comparadas, tanto em relação ao primeiro trimestre deste ano, quanto em relação ao mesmo período de 2018.

Uma delas diz respeito à quantidade de Análises de Projetos, que é feita pela Diretoria de Serviços Técnicos (Distec), também ligada ao CBM.

Neste segundo trimestre, foram 621 ações contra 467 do segundo trimestre de 2018, uma diferença de 154 ocorrências. Essa quantia diminui um pouco quando se compara os dois trimestres deste ano: são 621 do segundo, contra 511 do primeiro (110).

Dentro da Distec, outra análise é relacionada à quantidade de Vistorias em Edificações. Os números do segundo trimestre são maiores que os três últimos períodos: 2024 (abril, maio e junho/2019), 1919 (janeiro, fevereiro e março/2019), 1801 (abril, maio e junho/2018) e 1685 (janeiro, fevereiro e março/2018.

Para o coronel Reginaldo Leandro da Silva, comandante do CBM, o ganho para a sociedade em relação a essas ações vem a curto, médio e longo prazo, com reflexo direto na segurança. “As análises de projetos, as fiscalizações, os trabalhos preventivos e as vistorias somam muito para a redução das ocorrências em geral. Isso para nós é prevenção, reduz as ocorrências e é nisso que estamos evidando todos os esforços”, explicou o comandante.

A diminuição de números que ganha destaque nos comparativos é relacionada ao Atendimento Pré-Hospitalar (APH), que são as ações das equipes de resgate do Corpo de Bombeiros Militar em acidentes. Os registros são menores que nos três outros períodos.

São 920 ações a menos que no primeiro trimestre deste ano, ou seja, 2018 ocorrências contra 2938. Em 2018, os períodos registraram 2059 (abril, maio e junho), contra 2611 (janeiro, fevereiro e março).

"As ações das demais forças de segurança pública na parte preventiva reflete diretamente junto ao Corpo de Bombeiros Militar. Quanto mais trabalha a Polícia Civil e a Polícia Militar, menos ocorrência temos registradas. É algo conjunto que resulta em ganhos para a sociedade como um todo”, argumentou o coronel Reginaldo Leandro da Silva, comandante do CBM.