História do CBMTO

Superação, força de vontade, amor à vida e à profissão constroem a história do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins, o qual iniciou suas atividades como Companhia Independente de Bombeiros (1ª CIBM), criada por meio de decreto (6676/92), em dezembro de 1992. À época possuía uma estrutura pequena e ligada, organicamente a Policia Militar do Tocantins, com atuação apenas nas áreas de combate a incêndios urbanos e salvamento.

Em 1994 a 1ª CIBM ampliou seu efetivo e formou sua primeira turma de soldados bombeiros do Estado, com 49 formandos. A Companhia possuía agora um efetivo de 62 homens e um número reduzido de graduados, sendo apenas dois oficiais. O Major Elias José da Silva foi o primeiro comandante do Corpo de Bombeiros do Tocantins.

Ainda em 1994, a convite da Prefeitura da capital, o Corpo de Bombeiros iniciou o serviço de salvamento aquático. A unidade contava somente com um barco de cinco metros, com motor de 25 hp, e não possuía qualquer tipo de equipamento autônomo para mergulho. Mas em 1996, adquiriu 13 embarcações com motores de popa, o que possibilitou atender várias cidades turísticas, especialmente durante a temporada de praias, que ocorre no mês de julho. Também foram adquiridos equipamentos de mergulho autônomo para o desempenho das atividades de busca de cadáveres e bens submersos.

E não ficou só nisso. Em 1995 foi criada a Seção Técnica, responsável pela análise de projetos e vistorias de edificações, serviço que se estende a todos os municípios do Estado e tem como missão; fazer atender às necessidades dos códigos de postura municipais, os quais obrigam todas as edificações, exceto as unifamiliares, que disponham de sistemas para a segurança contra incêndio e pânico.

Em 1997, a área de atuação dos bombeiros militares do Tocantins se expande mias um pouco e a corporação passou a atuar no aeroporto de Palmas, por meio de uma unidade altamente capacitada, a Seção Contra Incêndios - SCI.

Com a implantação do Programa de Prevenção e Controle de Queimadas e Incêndios Florestais na Amazônia Legal - Proarco, em 1998, o Corpo de Bombeiros do Tocantins passou a operar na formação de brigadistas, além de realizar o trabalho de combate a incêndios em áreas rurais e de preservação ambiental.

Em outubro de 2000, a sede da 1ª Companhia Independente de Bombeiros foi transferida, provisoriamente, para algumas salas disponibilizadas nas instalações do então aeroporto de Palmas. Um ano após, com a inauguração do Aeroporto Brigadeiro Lysias Rodrigues, as instalações passaram a abrigar definitivamente a sede do Corpo de Bombeiros da Capital.

No mesmo ano, com recursos da Secretaria Nacional de Segurança Pública  (Senasp), foram adquiridos os primeiros veículos do Corpo de Bombeiros do Tocantins, sendo: três caminhões Auto Bomba Tanque - ABT, três furgões para resgates e três para salvamentos, sendo distribuídos em proporções iguais para cada uma das unidades.

Em 2004, a 1ª Companhia Independente de Bombeiros foi transformada em 1º Batalhão de Bombeiros Militar - 1°BBM (Decreto Lei Nº 2013,) quando também foi criado o quadro específico de Bombeiros Militares, dando oportunidade aos seus componentes de concorrerem a promoções em seus respectivos quadros.

O 1º BBM foi instalado no ano seguinte (2005) pelo o Comandante Geral da PMTO, juntamente com suas respectivas companhias, sendo duas em Palmas: a 1ª CIA na região central da capital e a 2ª CIA, em Taquaralto. Uma em Araguaína (3ª CIA) e outra em Gurupi (4ª CIA).

A capital, Palmas, conta atualmente com quatro Companhias, sendo duas na capital, região central e sul; uma em Porto Nacional e outra em Paraíso do Tocantins. Juntas, essas companhias são responsáveis pelo atendimento das demandas da região central do Estado.

A 3ª CIA de Araguaína foi, posteriormente, transformada em Batalhão, sendo o 2º BBM, com Companhias sediadas nas cidades de Araguaína, Araguatins e Colinas, responsáveis pelo atendimento à região norte.

A 4ª CIA, localizada na cidade de Gurupi, região sul do Estado, se transformou em 3º BBM e é responsável por duas Companhias, sendo uma em Gurupi e outra em Dianópolis. 

Em 26 anos de existência, a história do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins se confunde com a história do Estado. Seu crescimento e suas conquistas possuem assinaturas dos mais valorosos comandantes que, após o desmembramento da sua coirmã Polícia Militar, em 2005, contribuíram e contribuem para que a corporação seja uma das mais sérias e respeitadas do País e é claro, de todos os 520 bravos heróis e heroínas que, todos os dias colocam suas vidas em risco para que outras vidas sejam salvas.